Área de Ciências Humanas

Compreender o humano exige um pensamento complexo, transversal e dialógico, que se efetiva na consideração pelo outro em sua diferença cultural, formando uma consciência da multiplicidade de modos de existência, como produto e processo culturais, e que se vincula a um compromisso com a sustentabilidade da vida em todas as suas dimensões: do sujeito, das relações sociais e do meio ambiente. As “humanidades”, nessa perspectiva, não se encerram numa concepção excludente das ciências ditas naturais e físicas, porque a humanidade também é natural e física, tanto quanto depende, lida e se relaciona com essas dimensões.

Daí que, elegendo o cuidado de não absolutizar produções dos saberes e fazeres sociais, políticos e culturais, a área de humanas considera cada vez mais importante as relações do ser humano consigo mesmo, com o outro e com o meio em que se insere, produz e é produzido. Então, vale pensar também as relações do local com o global e desse com aquele, entre os diferentes espaços e tempos, em especial no que se relaciona ao estado do Espírito Santo.

A abertura teórico-valorativa é preponderante para o exercício formativo na Área de Ciências Humanas, sendo que as posturas doutrinárias, ao contrário, são sufocantes para o pensamento e impedem o diálogo com as outras componentes curriculares. Por isso, essas componentes teriam maior coerência didática ao abrir-se para os novos desafios de um saber múltiplo, que incorpore em seus currículos e, sobretudo, na sala de aula essa multiplicidade de pontos de vista.

A área de Ciências Humanas deve se manter como referência de uma construção de saberes que respeitem a pluralidade de olhares sobre a “realidade”, sendo que se subdivide na Educação Básica em suas diferentes componentes curriculares da seguinte forma:

Componente Curricular Ensino Fundamental Ensino Médio
Ensino Religioso X
Filosofia X
Geografia X X
História X X
Sociologia X

Clique nos quadros abaixo para saber mais sobre cada componente Curricular:

 

Anúncios